Bélgica: Dinant

Vamos reviver mais posts antigos enquanto eu escrevo novos. Ano passado fizemos uma viagem de 3-4 dias na Bélgica e, no nosso primeiro dia, fomos conhecer Namur e Dinant. O nosso passeio em Namur foi rápido, mas em Dinant foi mais rápido ainda. Isso porque são dois pontos turísticos principais, que ficam muito perto um do outro e melhor, muito perto da estação de trem. Não precisamos de mapa, nem de informações – é ridículo de fácil. Existem outros pontos, mas de nosso interesse eram esses dois.

O Henrique conheceu a Bélgica em 2011, e quando fomos pra lá e ele pediu que cidade eu queria conhecer, eu falei: aquela, da Igreja preta. A igreja não é preta, é só a cúpula, mas de qualquer forma é uma das Igrejas mais lindas que eu já conheci.

Notre Dame de Dinant

A Catedral de Nossa Senhora de Dinant é uma catedral gótica do século 13, nas margens do rio Meuse, que sobreviviu a vários acontecimento históricos: o saque de Dinant em 1466, a passagem das tropas do Duque de Nevers em 1554 e as atrocidade da I Guerra Mundial. A Igreja foi reconstruída entre 1919 e 1923, quando foi adicionado o campanário bulboso em contraste com a construção de pedra.

Dentro ela é toda esverdeada,  e rolou um Minas Morgul feelings..

Citadela de Dinant

A primeira fortaleza construída neste local data de 1040. No ano de 1466, Carlos, o Temerário, invadiu a citadela destruindo o castelo e a Torre. O castelo foi reconstruído em 1523, e ocupado por Luís XIV entre 1675 e 1698, quando o castelo foi reformado sob a supervisão do engenheiro militar Vauban. Entre 1818 e 1821 o castelo foi novamente destruído, e reconstruído pelos holandeses, configurando a citadela que conhecemos hoje.

Ao contrario da citadela de Namur, este é um passeio pago (a bilheteria fica ao lado da Catedral). São 8 euros para adultos, e este valor inclui o transporte de bondinho até lá em cima e a entrada na Citadela. Mas agora pense num bondinho super inclinado!

Na citadela, tem uma loja de souvenirs da onde partem passeios com um guia (lá tem os horários). O guia leva por toda a citadela, conta a história do lugar, e as vezes é um pouco chato porque ele explica em francês e depois em holandês (e se pedir em inglês). Mas vale a pena fazer o passeio com ele.

A estação é tão pertinho que dá pra ver o trem nessa foto! No final do passeio, a gente passa por duas salas “especiais”: uma delas simula uma trincheira de batalha de 1914, e a outra um abrigo que desmoronou, que é uma sala inclinada, onde se perde toda a noção de verticalidade.

 Mais informações no site da Citadela.

Partimos de Dinant diretamente pra Bruxelas, e ali perto da estação compramos uma porção de massa que vem numa caixinha (tipo China in Box) pra poder levar e comer no trem. A porção era generosa e tinha meio quilo de queijo ralado em cima: e toda essa alegria por apenas 3 euros. Só pra resumir o alimentício do dia: 6 euros em massa + 2,50 num cone de batata frita + 1,60 num waffle. Amamos você, Bélgica querida 😉

A Catedral e a citadela

* A passagem, partindo de Bruxelas, ida e volta, para duas pessoas custou cerca de 27 euros em maio de 2013. Fizemos o trajeto Bruxelas – Namur – Dinant – Bruxelas.

Você também pode gostar de:

2 Comentários

  1. Deu pra aproveitar bem as duas cidades em 1 único dia? Quero fazer a mesma programação mas estou com receio de ficar e muito apertado. Em qual cidade vocês recomendam reservar mais tempo?

    1. Olá Caroline!
      Tendo em vista o que nós queríamos visitar, deu pra aproveitar bastante o passeio. Acabamos voltando pra Namur uma outra vez no mesmo ano, mas ficamos tbm só 1 dia por lá.
      Nós, naturalmente, caminhamos um pouco rápido e não somos de fazer muitas paradas (tipo, distrair entrando em comércio, parando pra refeições demoradas…). Nesse dia aí nós almoçamos um cone de fritas caminhando e jantamos no trem na volta pra Bruxelas.
      Acredito que o melhor seja reservar mais tempo naquela que você quer conhecer mais; mas, baseada no nosso passeio, eu recomendaria passar mais tempo em Namur, já que a Citadela é mais longe da estação e a subida até lá é feita a pé.
      Bom passeio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *