E o verão suíço, como foi?

Gente, o verão acabou. Acabou faz tempo já, mas eu me esqueci de publicar o post antes, ehehe. Já estamos passando frio, usando jaquetas e ligando as luzes as 17h…

Como eu já comentei por aqui, eu vivi 3 invernos em sequência, então eu estava muito animada para, FINALMENTE, passar calor de novo. As pernas que, numa situação normal eram brancas, já estavam transparentes de tanto tempo sem ver o sol.

Ali pelo mês de abril e maio houveram uns dias quentinhos, mas nada extraordinário. Em compensação, segundo infos das minhas amigas, o mês de junho foi bem quente por aqui (e onde a gente estava? no Brasil passando frio). Quando voltamos no final de junho começamos a vivenciar uns dias de calor. Não aquele calor estupendo, mas calor suficiente pra desejar que a sua parada chegue logo e você possa descer do ônibus e pegar uma brisa.

2014-07-06 18.52.55
Sol e chuva!

O dia de mais calor que eu me lembro (conferindo a temperatura no celular) foi 28º. Veja bem, eu acho 28º uma temperatura muita digna e me dá uns calafrios lembrar do calor de Porto Alegre. Porém no entanto todavia, eu estava torcendo por dias de muito, muito calor aqui.

Explico: Suíça não tem mar, mas tem praia! Isso mesmo, tem praias no lago Léman – com areia, guarda sol, crianças fazendo castelinho e tudo o mais – só que a água do Lago, como vocês podem imaginar, é muito gelada! É tipo praia no RS. Então nesse dia que fez 28º foi extremamente agradável entrar no lago – mas nos dias de temperatura menor a experiência não era assim ~das mais agradáveis do mundo. Então eu estava torcendo por dias de muito, muito calor, pra poder entrar no lago sem ficar prendendo a respiração.

Na Plage de Préverenges, que fica a 5 minutinhos da nossa casa, a areia é meio grossa e para entrar no lago você passa por uma camada de pedrinhas até chegar na areia. E aí você fica pisando na areia macia e vendo seus pés através da água limpinha… e de repente aparece um pato.

20140830_160741_Android

Preciso dizer que as pessoas daqui tem uma resistência ao frio que nós, brasileiros, não conseguimos acompanhar. Mesmo nos dias de temperatura mais baixa, os suíços estão na água, nadando, se exercitando, nem ligando para o frio. Eu entendo eles, num lugar com um verão tão murcho, é preciso mesmo saber aproveitar todo e qualquer fiapo de calor.

Aliás, eles começam a aproveitar esses “fiapos de calor” ainda lá na primavera. Em um dia de sol, tudo vira motivo pra lagartear: eles almoçam no sol, marcam reuniões no sol, conversam no sol. Esse hábito me deu um pouco nos nervos (e me deu dor de cabeça também). Mas agora eu penso que talvez seja esse um dos motivos pra eles chegarem no verão tão bronzeados. Oi, como assim?

Pois então, eu sou bem branca e achei que me sentiria super bem aqui, que ninguém repararia nas minhas pernas de lagartixa. E quando cheguei na praia, eu era a pessoa mais branca – numa praia de suíços. Eu não consigo entender toda a mágica que se sucedeu, mas as mulheres estavam todas muito bronzeadas – cor de verão mesmo – estilo praia carioca. Invejei demais a cor delas – mas não invejei os biquínis terríveis de bunda molenga. Conforme fomos a praia outras vezes e eu me senti menos mal. É uma pena que, depois desse verão murcho, não consegui pegar uma corzinha de saúde.

De uma forma geral, as pessoas estão comentando que esse foi um verão atípico (depois de um inverno atípico). As temperaturas não foram tão altas e foi também um verão bem chuvoso. Alguém lembra que em algum “aleatoriedades” eu comentei que aqui não tem temporal? Pois então, nesse verão teve. Inclusive, o aplicativo MeteoSwiss mandava mensagens estilo “Storm alert level III” e, algumas vezes acabava sendo só uma chuvinha, mas em outras eu entendia o tal do poder do level III.

Pra quem tem curiosidade sobre o verão na Europa e sua combinação com os hábitos de higiene locais, posso dizer que a Suíça está num nível bem semelhante ao brasileiro. Eventualmente você encontra alguém no ônibus e no metrô que esqueceu de usar o amigo desodorante, mas da mesma forma que você encontra essas pessoas no Brasil tbm – nada exagerado.

2014-07-06 21.32.33
Montreux Jazz Festival e chuvaaaa

Bom,  verão aqui não se resume só a praia. Também foi época de muita música e muitas manifestações ao ar livre. Pra quem tem pique (e $$$) foram muitas as opções pra curtir a estação. Nós escolhemos o Paléo, o maior festival de música suíço, mas isso eu já contei aqui. De resto, aproveitamos os dias super compridos pra passear muito, inclusive no Montreux Jazz Festival (mas só olhar mesmo, porque o valor dos ingressos estavam meio proibitivos) e no Festival Medieval do Château d’Aigle; e também para assistir um jogo da Copa no telão montado em Bellerive – onde assistimos a Suíça ser eliminada pela Argentina. Conhecemos Berna, Interlaken, Lauterbrunnen, Bellinzona, Lugano e o Lago di Como. Recebemos amigos e aproveitamos pra fazer caminhadas, andar de roller e tomar muito sorveteeeee. Não rolou nenhuma viagem mais longa porque os preços das passagens aéreas estavam de assustar. Enfim, não foi exatamente o verão que eu esperava, mas teve suas vantagens 😉

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *