França: Strasbourg II

Voltei pra contar o nosso passeio de segunda feira em Strasbourg! Como no domingo já havíamos visitado vários museus, a segunda feira ficou livre pra caminhar pela cidade e conhecer o ponto turístico principal: a Catedral de Strasbourg.

Nós começamos nossa caminhada cedinho cruzando a Petite France novamente, e cruzando toda a Grande Ilha (que é Patrimônio na Unesco desde 1988) – e mais um pouco – até chegar lá nos prédios do Parlamento Europeu. Poderíamos ter feito esse passeio de barco, mas geralmente achamos os preços dos barcos exagerados, então acabamos fazendo tudo isso a pé. É um pouquinho longe, mas fomos caminhando tranquilamente, então não foi cansativo.

parlamento
Tribunal Europeu de Direitos Humanos
parlamento3
No caminho encontramos essa galera sofrendo pra remar

parlamento2 parlamento4 parlamento5

O Parlamento Europeu dispõe de 3 sedes: Bruxelas, Luxemburgo e Strasbourg. Strasbourg é considerada a sede oficial desde 1992 e acolhe também o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos desde 1998.

Caminhando até lá nós passamos pela Igreja Protestante St Paul (1892-1897), que apesar de muito bonita, nem aparece nos mapas turísticos da cidade.

StPaul StPaul2

Na volta, paramos para visitar – com calma e atenção – a Catedral Notre Dame de Strasbourg. O ponto turístico mais importante de toda a cidade, e a segunda catedral mais visitada da França, tem 4 milhões e meio de visitantes por ano – perdendo apenas para a Notre Dame de Paris. A Catedral Notre Dame de Strasbourg é uma catedral católica, cuja primeira pedra foi assentada no ano de 1015 e concluída em 1439 em estilo gótico (nesse link dá pra ver todas as etapas de construção da Catedral – super interessante). Com 142,11 metros, foi o prédio mais alto do mundo até 1874.

catedral14
Catedral vista do terraço da Barragem Vauban
catedral8
E na frente da Catedral tem uma rua…

 

catedral7 catedral3 catedral10

catedral12

 

catedral4 catedral6

catedral13

catedral2 catedral

Visitamos o interior da Igreja e, sem paciência pra esperar o relógio astronômico (temos um pé atrás com essas coisas depois do relógio de Berna) resolvemos subir na Catedral. Pagamos 2,50 euros cada um (preço estudante), e a subida é das mais puxadas que eu já vi! São 330 degraus até a plataforma de observação (não sobe na torre, ok?).

Plataforma
O Parlamento (lá no fundo) e a Igreja St. Paul
plataforma2
A rua em frente a Catedral e a Place Gutenberg
plataforma3
O MAMCS
plataforma4
A Torre Solitária

plataforma5 plataforma6

 

catedral15

Ao lado da Catedral está a Maison Kammerzell, um dos mais famosos prédios da cidade. Construída em 1427 e decorada por Léo Schnug (1878-1933), hoje abriga um restaurante.

kammerzell kammerzell2

Saindo dali nós resolvemos seguir em direção a um shopping, porque o Henrique queria matar a saudade de comer Quick. Passeamos um pouco no shopping, e depois voltamos pra Place Kléber, pra aproveitar um pouquinho mais o comércio (já que na Suíça os preços não são os melhores, aproveitamos pra fazer compras nas viagens). Eu aproveitei pra fazer umas comprinhas na Pimkie (tem em Lausanne, mas o preço é muito melhor na França), na farmácia e na KIKO Cosmetics (eu não resisto). Aproveitamos também pra tomar um sorvete Ben & Jerry’s de manteiga de amendoim e cookies – sensacional! Agora nós paramos toda vez que encontramos Ben & Jerry’s no nosso caminho (encontramos em Aarau sábado passado).

Saindo dali, voltamos pro hotel buscar minha mochila, e seguimos em direção a Gare de Strasbourg. No caminho, encontramos uma papelaria maravilhosa e cheia de descontos, onde aproveitamos pra comprar alguns materiais já que, dentro em breve, eu vou começar um curso de pintura 😉

Em resumo, eu achei a cidade maravilhosa. Eu acho incrível que, mesmo que estejamos falando de territórios pequenos (em comparação ao nosso Brasil sil sil) e que, durante muito tempo, foram alvo de disputas entre países, a França sempre tem cara de França. É impossível confundir com outro lugar. Não é como estar em Paris, mas definitivamente tem um charme que só a França tem.

Acredito que 1 dia é suficiente pra quem quer conhecer os pontos turísticos principais e fazer um passeio agradável (se não fossem os museus a gente certamente teria percorrido tudo ainda no domingo), o que faz da cidade um destino ótimo para um bate-volta. Visitar a Catedral (que num primeiro olhar dá um arrepio para as pessoas com TOC) e comer um flammkuchen tomando uma cerveja artesanal já são motivos suficientes pra querer visitar Strasbourg.

Capture d'écran 2014-10-16 16.16.32
Nosso caminho de ida – quase 5 km
Capture d'écran 2014-10-16 16.25.41
Nosso caminho de volta – cerca de 8 km (mas obviamente andamos mais que isso)

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *