Greisinger Museum: o museu suíço dedicado à Terra Média

O Museu Greisinger é uma fundação sem fins lucrativos que abriga a coleção particular de Bernd Greisinger, totalmente focada na Terra Média. Essa é a maior e mais importante coleção desse tipo no mundo, composta de arte, literatura e itens de colecionador de vários tipos. A construção do museu se iniciou em 2008 e ele abriu as suas portas em outubro de 2013. Se encontra na pequena cidade de Jenins, no cantão de Grisões (embaixo de Liechtenstein =P).

A coleção inclui mais 600 pinturas originais inspiradas pelo trabalho de Tolkien, inclusive pinturas de Alan Lee, John Howe, Ted Nasmith… cartas de Tolkien, cópias das primeiras impressões dos livros no Reino Unido, incluindo livros raros e autografados, versões dos livros em muitas diferentes línguas, assim como objetos ligados aos filmes.

janela

janela2

Quando foi exatamente que descobri o Greisinger Museum, eu não sei dizer. Muito provavelmente foi pesquisando sobre a Nova Zelândia e o Hobbiton. Fato é que, a partir do momento que soube, eu quis ir.

Demorou muito, muito mesmo, pra conseguirmos o arranjo ideal que possibilitasse a visita. Isso pq Jenins fica muito longe da parte francófona da Suíça, e você precisa reservar um horário para conseguir visitar o museu. Não adianta chegar lá de surpresa e bater na porta, viu?  Até que em novembro do ano passado conseguimos reservar um tour em francês num finde com passagens de trem em promoção!

O tour começa pela porta da toca Hobbit, mas se engana quem pensa que o museu é pequeno. São salas e mais salas, a maioria no subsolo, lotadas de livros, objetos, quadros, desenhos e tudo o mais que concerne a Terra Média e a obra de Tolkien. As salas seguem diferentes temas e, em cada sala, o guia nos explica um pouco da obra de Tolkien. Pegando o gancho dos objetos que ali estão, ele também nos conta muitas curiosidades a respeito desse universo. Mesmo eu, que muito já li e reli e muito me interesso, fiquei sabendo de coisas interessantíssimas durante todo o tour. Os que ali estavam e não tinham muito conhecimento desse universo, também aproveitaram bastante.

Ao término de cada sala o guia deixa um tempo livre para que se possa explorar o local e fazer muitas fotos. O único ponto que não pode ser fotografado é um corredor de livros raros. O destaque fica para 3 primeiras salas, ainda na toca Hobbit, e tbm para a recriação do Balrog e de Barbárvore, em tamanho “real”. E eu que achava que era só lá no Fórum Valinor que o pessoal gastava a ponta dos dedos a discutir as asas dos Balrogs, descobri que essa discussão dá pano pra manga em provavelmente todo lugar do mundo.

img_0323

img_0333

img_0316

capa
E essa capa de livro americana? E esse cabelinho do Legolas?

img_0339

Minha parte favorita foram os livros. A guia nos mostrou alguns exemplares, inclusive um brasileiro, que saíram com um grave erro: a tradução da palavra hobbit (no nosso caso, virou Gnomo!). E nos contou como o próprio Tolkien escrevia guias para a correta tradução de suas obras e, inclusive, fez sair do mercado algumas edições com esse tipo de problema.

O tour dura cerca de 3 horas (e podia durar mais, pq passa voando!), mas isso vai depender muito do guia, da quantidade de pessoas e das questões que as pessoas podem fazer (suscitando novas e longas discussões). Nosso tour tinha 5 adultos e foi com a Enza, a guia que faz os tours em inglês, francês e italiano – ela é super simpática e o tour foi tranquilíssimo. Acredito que os tours em alemão sejam feitos pelo próprio dono da coleção, o Bernd Greisinger. Nós o conhecemos no final do tour, pois a visita acaba numa espécie de bar temático, onde ele estava nos esperando para um apéro.

Acredito que, se você tem interesse nesse assunto, vale a visita. Mesmo que você não tenha lido, não saiba muito, você vai aprender muito e ouvir muitas coisas interessantes. Não sei se aconselharia essa visita com crianças. Apesar do museu inteiro estar cheio de objetos e action figures, alguns deles podem ser bem caros e especiais, e tocar neles não é uma opção. Além disso, as crianças podem ficar entediadas já que o tour segue um roteiro pré-definido e dura bastante.

Demoramos muito para ir ao Greisinger, mas toda a expectativa e todo o cu$to valeram muito a pena. E para aproveitar que estávamos longe nós emendamos um passeio a Davos no final de semana com a primeira nevasca do inverno!

Como chegar de transporte público:

A partir de Zurique em cerca de 1:30 se chega a Jenins Sonne, parada próxima do museu. O caminho mais prático é pegar o trem em direção a Chur e descer em Bad Ragaz e ali pegar o ônibus 22 até Jenins Sonne. Ou então descer em Landquart e pegar o mesmo onibus 22 no outro sentido e também descer em Jenins Sonne.

img_0305
A vista em frente da toca Hobbit
Como reservar o seu tour:

Aqui nesta página você pode ver todas as informações de tours e reservas.

Preço:

CHF 50 por pessoa, com descontos para estudantes, grupos, membros de Tolkien Societies and so on…

Site e facebook:

http://www.greisinger.museum/en/

https://www.facebook.com/GreisingerMuseum

img_0307

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *