Lausanne: Musée de la Main

Nesse mês o “sábado dos museus” foi no Musée de la Main UNIL-CHUV. Aos poucos está ficando mais difícil encontrar museus que ainda não conhecemos e que tenham entrada gratuita no primeiro sábado do mês. A gente não tava dando muito crédito pra esse museu, mas no final das contas foi bem interessante.

O Musée de la Main é uma iniciativa da Fundação Claude Verdan, da Universidade de Lausanne e do CHUV (Hospital), e idealizado como um espaço cultural que permite a todos explorar grandes temas da atualidade, sejam científicos, médicos ou sociais, através de uma abordagem de diálogo e curiosidade.

A exposição atual se chama ANATOMIES, e vai até 17 de agosto de 2014.

“Interativa, contemplativa e imersiva, a exposição Anatomies propõe uma viagem ao coração dos conceitos e representações do corpo humano. Você vai descobrir uma seleção de imagens, objetos e testemunhos entre passado e presente, entre arte e ciência, entre medicina e sociedade. Uma ênfase especial é dada ao médico Andreas Vesalius (1514-1564), um dos fundadores da anatomia moderna, em vista dos 500 anos de seu nascimento. De obras antigas às mais recentes tecnologias de imagem, preparações anatômicas e instalações virtuais, Anatomies convida-o a percorrer os vários espelhos do nosso corpo interior.”

Anatomies, além de ter ilustrações de anatomia (antigas e atuais), representações dos orgãos e tudo o mais que essas exposições costumam ter, também tem uma série de objetos inusitados, umas ilustrações meio macabras e instalações interativas – super curioso.

mao2

Essa última imagem é uma foto super bacana feita por um estudante da ECAL (não é o museu, please)

mao1Anatomia do Lego, do Homem Aranha e Ondina (sereia)

Homem Aranha e Ondina são de um artista brasileiro chamado Walmor Corrêa. 

mao3

Esses dias eu vi um post sobre perfumes com cheiros bizarros, e (até onde me lembro), o “ganhador” era um perfume da Etat Libre d’Orange. Então, encontrei o Magnifique Secretions lá no museu, com cheirinho de fluídos humanos – mas, felizmente, é só pra ver, não é pra cheirar não.

O museu não é muito grande e a exposição ocupa dois andares, então o passeio foi rápido. Não é o tipo de exposição que agrada todo mundo (tem umas coisas bem bizarras), mas como tem bastante coisas inusitadas (dá pra perceber pelas fotos) e interativas, acaba sendo bem interessante.

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *