Liechtenstein: Vaduz

Liechtenstein é o sexto menor país do mundo – é um microestado localizado no centro da Europa, entre a Áustria e a Suíça. Tem cerca de 160 km², 36 mil habitantes e é dividido em 11 comunes (Balzers, Eschen, Gamprin, Mauren, Planken, Ruggell, Schaan, Schellenberg, Triesen, Triesenberg e Vaduz) . O Principado de Liechtenstein foi estabelecido dentro do Sacro Império Romano em 1719 e tornou-se um estado soberano em 1806. Liechtenstein é um estado democrático, uma monarquia constitucional, encabeçada atualmente pelo príncipe Hans Adam II.

Desde o ano passado estávamos ensaiando essa ida a Vaduz. Não porque seja um destino imperdível, mas pelo despeito de carimbar (mesmo que ficticiamente*) mais um país no nosso passaporte. No dia 25 de janeiro aproveitamos que estávamos ali perto e resolvemos dar um ‘pulinho’ na capital Vaduz.

Como chegar:

A cidade não tem acesso por trem, então fomos até Busch de trem, pegamos um ônibus até Schaan e trocamos por outro ônibus até Vaduz. Parece complicado e demorado, mas definitivamente não é (e não pagamos nada, porque nossa carte journalière incluia esses transportes).

O que ver por lá:

Passamos no ponto de informações turísticas e pegamos mapas e informações e continuamos nossa caminhada. Os pontos turísticos ficam todos muito perto uns dos outros, basicamente todos na mesma rua.

O Castelo de Vaduz foi construído na época medieval e, com o passar do tempo, duas alas foram agregadas: renascentista e neoclássica. A entrada não é permitida pois o castelo é residência da família real de Liechtenstein. O castelo pode ser visto de praticamente toda a cidade, pois fica no alto de uma colina (e quando vi ele eu soube que estávamos no lugar certo).

castelo_2 castelo

Além do Castelo, Vaduz também tem 4 museus: Museu de Artes Decorativas (coleção de arte do príncipe); Museu de Selos Postais; o Museu Nacional (coleção histórica de itens europeus); e o Museu do Esqui. Não conseguimos  entrar nos museus pois chegamos em Vaduz perto das 17h e, portanto, não tínhamos tempo pra ver nada com calma e tranquilidade.

montanhas

Catedral St. Florin (1869-1873)catedral Palácio do Governo (Regierungsgebäude)

Nova Casa do Parlamento (Landtag – é a casinha que parece de palitos)

parlamento

Há também a Casa Vermelha (um edifício do século XV que hoje é sede de umas das principais vinícolas do país) mas já estava escurecendo e resolvemos continuar nosso passeio de ônibus. Como ainda tínhamos tempo até a hora do trem, pegamos o ônibus na direção contrária de Schaan pra passear e conhecer um pouco mais de Vaduz. Dado que lá tudo é muito pequeno, em alguns minutos dentro do ônibus nós passamos pela cidade de Treisen e Balzers. Isso significa que com uma linha de ônibus você consegue passar por 4 cidades diferentes em questão de minutos – é mesmo inacreditável.

O passeio de ônibus valeu muito a pena porque passando por Balzers conseguimos ver o Castelo de Gutenberg todo iluminado – lindo! Minhas fotos ficaram péssimas porque estava escuro e eu estava no busão, mas peguei uma foto na internet só pra mostrar o quão bacana é.

Além de tudo isso, Vaduz também é um ótimo destino para a prática do esqui (além de ter uma estação termal). Eu não diria que Vaduz é uma cidade com poucos atrativos mas, como tudo é muito perto, o passeio é muito rápido (mesmo se você for pras outras cidades o passeio é muito rápido). Imagine então num sábado a tarde, com todo o comércio fechado e os museus também (as 17h já estava tudo fechado). De qualquer forma, é um lugar muito bacana e muito lindo de se visitar.

* É possível carimbar seu passaporte de verdade, pagando 3 francos no ponto de informações turísticas. Se tivéssemos chego mais cedo, com certeza teríamos feito =D

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *