Moscou: pontos turísticos além do óbvio

E para terminar a saga de posts de Moscou, vou mostrar alguns pontos turísticos interessantes além da Praça Vermelha/Kremlin. Vamos lá?

Catedral Cristo Salvador

Quando Napoleão recuou de Moscou, o czar Alexandre I assinou um manifesto declarando sua intenção de construir uma Catedral em honra de Cristo Salvador, em agradecimento à Divina Providência por salvar a Rússia. A Catedral foi inaugurada em maio de 1883, após décadas de trabalhos, com a coroação do Imperador Alexandre III.

Durante a vigência do comunismo a Igreja foi dinamitada, em 1931, para a construção de um palácio que nunca saiu do papel. Nos anos 90, após a queda da URSS, a Catedral foi reconstruída exatamente como a antiga, e reinaugurada no ano 2000.

Chegamos lá após uma caminhada tranquila a partir do Kremlin. A visita é gratuita e é muito interessante – são dois andares de Igreja!

Teatro Bolshoi

O Teatro Bolshoi é um edifício histórico projetado pelo aquiteto Joseph Bové para abrigar espetáculos de ópera e ballet – e é sede da companhia Ballet Bolshoi, umas das mais antigas e prestigiadas companhias de dança do mundo. O prédio principal do teatro, inaugurado em 1825, foi reconstruído e renovado diversas vezes. Em 2011, o Bolshoi reabriu após um intenso trabalho de renovação que durou 6 anos e consumiu cerca de 680 milhões de dólares.

Rua Arbat

A Rua Arbat é uma rua de pedestres no centro histórico de Moscou, e é uma das mais antigas ruas da cidade. Apesar de não me animar com o comércio em Moscou, na rua Arbat nós encontramos várias lojinhas de souvenirs interessantes, então aproveitamos para comprar Matrioskas (e é na Arbat que fica o Shake Shack de Moscou!)

Ao final da Arbat, já perto da estação de metrô Smolenskaya, encontramos uma das Seven Sisters – a do Ministério de Relações Exteriores (na foto ali de cima também já dá pra ver).

seven_2

Seven Sisters

Seven Sisters é um grupo de sete arranha céus de Moscou, construídos entre 1947 e 1953, em uma combinação de barroco russo e gótico. Segundo Stalin, quando os estrangeiros fossem conhecer Moscou e não vissem arranha céus, isso seria uma derrota moral para a Rússia.

Nós também avistamos o Kotelnitcheskaya em um passeio pelo bairro Kitay-Gorod (o bairro em si não achamos nada demais e não recomendamos a visita).

Cemitério e Mosteiro Novodevichy

É o mosteiro mais famoso de Moscou, e permanece intacto desde o século XVII. O mosteiro foi fundado por Vasili III em 1524 e foi declarado Patrimônio da Humanidade em 2004.

O Mosteiro fica um pouquinho longe e é preciso uma caminhadinha da estação de metrô Sportivnaya até lá, passando por uma área residencial. Nós visitamos o Cemitério Novodevichy, em primeiro lugar, e depois seguimos para o mosteiro. Estávamos desistindo de entrar (porque achamos um pouco caro), quando as portas se abriram para todos porque era Domingo de Páscoa. Graças a este detalhe, fizemos todo o passeio sem pagar nada (mas não fizemos o “turista louco das fotos”, em respeito aos que ali estavam por causa das celebrações).

cemiterio
Cemitério Novodevichy

 

mosteiro

500
Lago ao lado do Mosteiro

Parque Gorky

É um parque central em Moscou, inaugurado em 1928, que tem uma área de 300 acres nas margens do rio Moscou.

Curiosidades:

* A música Winds of Change, do Scorpions, faz referência ao Gorky Park.

I follow the Moskva
Down to Gorky Park
Listening to the wind of change

* No S02E03 de IT Crowd, quando a Jen volta a fumar e os fumantes são empurrados cada vez mais pra longe da empresa, eles se referem a área de fumantes como Gorky Park.

Agora, falando em turistar, só vá ao parque Gorky se você estiver em Moscou no verão! Nós estávamos lá na Páscoa (frio e neve) e visitamos o parque no domingo e ele estava vazio – somente alguns jovens andando de skate….

Além disso, vale citar que o comércio em Moscou abre no domingo, então o parque estava vazio mas os shoppings estavam bombandooo (me lembra muito Brasil isso).

Okhotny Ryad

E, falando em shopping, O Okhotny Ryad é um shopping que fica na estação de metrô de mesmo nome, bem pertinho da Praça Vermelha. Ele pode ser um pouco difícil de perceber, pois é subterrâneo, mas é fácil de achar se você procurar pela entrada que fica bem em frente ao Hotel Four Seasons (atrás do Museu Histórico do Estado).

Nós chegamos nele totalmente sem querer, procurando pela estação de metrô, e achamos um lugar bem bacana para comer (tem fast food estrangeiro e também redes locais). As lojas são aquelas clássicas que a gente encontra na Europa inteira, só que os preços não são assim muito amigos.

shopping_1

Mais opções:

Além desses pontos, fica a dica do Museu Pushkin de Belas Artes, que fica bem próximo da Catedral Cristo Salvador. Nós queríamos visitar, mas por um erro muito estúpido (o mapa nos indicou outro lugar!) nós acabamos não indo.

A Galeria Tretyakov (arte nacional russa) também é uma boa pedida para os amantes das artes. Pra quem tem mais tempo, vale considerar uma visita ao Parque Kolomenskoye e sua Igreja da Ascensão, Patrimônio da Unesco desde 1994.

***

E, pra fechar a saga dos posts de Moscou, um momento de heresia culinária: fiz plic plac com os tradicionais biscoitos russos!

Moscou: Praça Vermelha

Moscou: Kremlin

Moscou: aspectos práticos

Moscou: A beleza das estações de metrô

 

 

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *