Resumo de Séries e Netflix na Suíça

Lá em agosto eu já havia comentado sobre a nossa nova mania de ver séries. Conforme o inverno chegou e, com ele, trouxe o Netflix na Suíça, essa nova mania ganhou ainda mais força. Pode parecer estranho, mas o Netflix só chegou aqui em setembro de 2014. Digo estranho porque, nesse meio tempo, nós brasileiros já estávamos jurando amor eterno ao serviço – tanto que o Silvio Santos faz até propaganda de graça

Assim que o Netflix desembarcou por aqui (e em alguns outros países europeus, como a vizinha Austria) nós já começamos a testar o mês gratuito. Não vou mentir que minha primeira impressão, depois de assinado, foi decepção. Como eu já devo ter comentado por aqui, a Suíça é um país com 4 (!) línguas oficiais, sendo que a predominante é o alemão. Então alguns filmes e programas só tem legenda em alemão!

Passado o momento de decepção, nós encontramos alguns programas com legendas em francês e passamos a aproveitar um pouquinho mais a assinatura. Assim como no Brasil, é oferecido um mês gratuito para testar, e depois disso a mensalidade é de CHF 11,90 (cerca de 35 reais, hoje). Pode parecer caro se a gente compara o preço em reais, mas essa comparação nunca dá certo. As pessoas aqui ganham um salário muito melhor, então desembolsar CHF 11,90 pro Netflix é muito mais tranquilo do que pro brasileiro desembolsar R$ 17,90 (ou 18,90… não sei).

E assim que o frio se instalou por aqui, começamos a passar muito mais tempo em casa e, com as noites cada vez mais compridas, aproveitamos pra assistir as seguintes séries:

Modern Family

modern

Definitivamente é a nossa série de comédia favorita. A história gira em torno das famílias de Jay Pritchett e seus filhos, Claire Dunphy e Mitchell Pritchett, cada qual com suas particularidades. Apesar de ser uma típica série de comédia, com episódios de 20 e poucos minutinhos, o enredo é muito bem elaborado e consistente. Como a série acompanha a vida das famílias, sempre tem algo novo acontecendo – personagens envelhecendo, mudando de emprego, entrando pra faculdade, crescendo – então sempre tem um assunto novo e interessante pra dar continuidade a série. Acho que é a única série de comédia que recomendamos fazer maratona, porque não enjoa! A série já ganhou vários Emmys e até um Globo de Ouro por melhor série de comédia. Ela tem um formato diferente, e em alguns momentos os personagens dão ‘depoimentos’ sobre os acontecimentos – é hilário. E gente, o Cameron é demais!

Orange is the new Black

orange

Essa a gente resolveu assistir por conta dos elogios que lemos por aí. Conta a história da Piper Chapman, condenada a cumprir 15 meses numa prisão feminina por ter participado do transporte de uma mala de dinheiro proveniente do tráfico de drogas. O crime se passa bem antes do início da série, então a personagem está vivendo uma vida bem tranquila e confortável no momento da prisão. De cara a série não chamou nossa atenção, mas conforme a gente foi assistindo começamos a ficar curiosos com o que vai acontecer lá dentro, com o que aconteceu com cada mulher pra que elas fossem presas… enfim, não é exatamente comédia, nem drama, mas vale a pena assistir. No final das contas achamos uma série muito bacana e já estamos aguardando a nova temporada.

How I Met your Mother

howimet

Eu fui contra assistir a série, porque gente, são 9 temporadas. Mas o Henrique insistiu e começamos a assistir. Em 2030 o Ted resolve contar para os seus filhos como conheceu a mãe deles. E claro, recapitula muitas ‘aventuras’ suas e de seus amigos em NY. Rolou uma certa polêmica com relação ao final da série – mas nós achamos bem ok até, condizente com a história toda e até surpreendente. O que foi difícil de engolir mesmo foi a enrolação da 6º, 7º e 8º temporadas… sério mesmo, assistimos na obrigação. Eu realmente acho um saco quando esticam as séries só pelo $$$. Nós achamos o início da série super legal, e até a 4º ou 5º temporadas estávamos achando bem divertido mesmo. Assim como The Big Bang Theory, HIMYM é ótima pra acompanhar semanalmente (era, no caso), distrair e rir um pouco. Não é muito bacana fazer maratona porque a enrolação e os problemas de continuidade ficam muito evidentes (tipo o Barney: num episódio tem fobia de dirigir e no outro já está tomando altas multas na estrada…).

Saindo um pouco do Netflix, também assistimos:

Game of Thrones

game-of-thrones

Nem preciso dizer que Crônicas de Gelo e Fogo é muito amor. Eu li os 5 livros ainda lá em 2012 – antes de ter o blog e fazer resenhas – e passei a acompanhar a série todos os anos. De início eu achei que a série era super fiel aos livros (na medida do possível, é claro) mas conforme se passaram as temporadas as coisas começaram a se distanciar bastante… o autor inclusive já comentou que podem morrer pessoas na série que não morrem nos livros! Como se já não morresse gente suficiente! Por já saber mais ou menos a história eu não tinha pressa pra ver as temporadas (mas agora terei), então no final do ano passado eu obriguei o Henrique a assistir as 3 primeiras temporadas pra assistirmos a quarta temporada juntos. Nem preciso dizer que ele viciou… e agora já estamos prontos para a próxima temporada, vem abril!!!! Eu to muito curiosa pra saber até onde essa 5º temporada vai avançar na história!

Vikings

vikings

Também fizemos uma maratona das duas primeiras temporadas antes de assistir a terceira, que estamos vendo agora. Mas dessa série eu já contei aqui.

* Pausa pra notícia triste: hoje faleceu Terry Pratchett, o criador do Discworld. Na seção Livros, ou então pela busca, você encontra todos os livros dele que eu já resenhei. Suas histórias se ambientam em um mundo em formato de disco, sustentado por quatro elefantes que estão nas costas de uma gigantesca tartaruga que vaga pelo universo. A série é de um humor extremamente inteligente, onde o autor ilustra diversas situações do nosso mundo de uma forma distorcida, irônica e muito engraçada.

* adição posterior: voltamos a ficar indignados com esse Netflix que tem programas com legenda só em alemão. Ficamos animados com a possibilidade de rever Hellsing (o anime) e nos deparamos com áudio em japonês e legenda em alemão. Assim não dá!

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *