Lausanne: sítio arqueológico de Lousonna

Lousonna era uma pequena localidade Galo-Romana nas margens do Lago Léman – um vicus – que nos séculos I, II e III chegou a ter 2000 habitantes, em sua maioria pescadores, comerciantes e artesãos. A localização estratégica para o comércio lhe permitiu prosperidade, atuando na transferência de mercadorias entre as bacias do Reno e do Ródano e também entre a Itália e a Gália. Do fim do primeiro século AC ao IV século DC, Lousonna evoluiu ao ritmo romano: língua, moedas, técnicas, religião… que foram enriquecidas com as tradições celtas locais.

No entanto, Lousonna começou a declinar com as invasões germânicas e foi completamente abandonada no século IV, quando as pessoas começaram a viver na colina, dando início a uma vila medieval.

Lousonna possuía um fórum, uma basílica, dois templos galo-romanos e um teatro. No sítio arqueológico pode-ser ver os restos do fórum e algumas pequenas construções ao seu redor. Todas as fotos desse post são do sítio arqueológico de Lousonna e as fotos com moldura redondinha são de “mirantes” colocados no sítio que te mostram o que você veria naquele lugar no tempo de Lousonna.

Três grandes campanhas de escavação revelaram áreas do assentamento. A primeira, conduzida por Frédéric Gilliard de 1935 à 1939, e a segunda, em razão da construção de uma rota em 1960/61, apresentaram uma visão detalhada da organização do assentamento ao final do século I DC. Em 1962/63, as explorações realizadas para a Exposição Nacional Suíça apresentaram a descoberta de uma série de construções a leste do Rio Flon, em uma área anteriormente ignorada.

Em 1963 foi fundada a associação Pro Lousonna, com o intuito de “estudar o passado galo-romano da região e conservar todos os documentos ligados a ele”. A associação é responsável pela herança regional até os dias de hoje. Nos anos setenta e oitenta, novas escavações ajudaram a entender melhor a evolução cronológica do sítio, demonstrando um forte crescimento ao longo do século I DC. Entre 1998 e 2001, uma grande área na margem leste do Flon foi escavada sucessivamente, onde foram encontrados os vestígios do teatro romano.

Museu Romano de Vidy

Em 1934, uma grande casa romana foi encontrada em uma escavação. Um pavilhão foi construído para proteger os achados mais importantes e, em 1941, duas novas partes foram adicionadas ao pavilhão, resultando no Museu de Vidy. Em ruínas, esse prédio foi demolido e foi construído outro em seu lugar, inaugurado em 1993. Organizado em três andares, ele ainda incorpora os achados da casa romana de 1934. Eu já falei do Museu Romano de Vidy, e recomendo que o passeio ao museu complemente o passeio ao sítio arqueológico, já que nenhum deles é enorme ou super demorado de visitar.

O sítio arqueológico de Lousonna fica em Vidy, próximo do camping de Vidy e do estádio Pierre de Coubertin, e tem entrada gratuita. O Museu Romano fica aberto de terça a domingo, das 11h ás 18h, e a entrada é gratuita no primeiro sábado do mês (preço normal – CHF 8).

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *