Suíça: sobre comida típica suíça, Rivella e Cenovis

fondue

Eu nunca me senti muito a vontade para falar de comida típica suíça, porque eu acho um assunto meio complicado. Mas vamos lá, vamos tentar. Pensar em comida típica suíça é um pouco como pensar em comida típica brasileira. É claro que a Suíça é um país infinitamente menor, mas mesmo assim ele também tem regiões distintas com sua própria culinária típica – e a gente acaba conhecendo mais a comida da região em que vivemos. Além disso, a gastronomia do país também é influenciada pelos países com que faz fronteira, absorvendo um pouco da gastronomia alemã, italiana e francesa, principalmente.

Sendo bem generalista, eu diria que eles são mestres na arte de combinar batata e queijo nas mais inimagináveis formas. Mas isso é só uma brincadeira, porque alguns pratos bem emblemáticos da cultura suíça levam esses dois ingredientes – sozinhos ou combinados.

Então vamos a lista com alguns tesouros gastronômicos do país:

Chocolate

Sim, o chocolate daqui é incrível e existe muita variedade. Mas já falei mais disso aqui nesse post e contei como é o passeio na Maison Cailler!

Capture d'écran 2015-05-15 19.15.53

Queijo suíço

Ah, o queijo! O queijo aqui é um capítulo a parte. A Suíça fabrica mais de 400 tipos diferentes de queijo, e os mais famosos são o Emmental e o Gruyère (que não pode faltar nunca aqui em casa). Dá uma olhada nesse post que eu conto como foi nosso passeio na Maison Gruyère, em Gruyères!

queijo
Fonte: www.sobeys.com

Fondue

O fondue suíço é um pouco diferente do fondue que comemos no Brasil. Existem vários tipos de fondue e, conforme os ingredientes, ele recebem nomes diferentes (fondue fribourgeoise, fondue valaisanne, fondue chinoise…). O mais conhecido, o fondue meio a meio, é uma mistura de dois queijos (Gruyère e vacherin fribourgeois) e vinho branco, que é servido com pães ou batatas.

fondue

No dia em que comemos esse fondue da foto aí acima, que é um meio a meio à la tomate, nós não mergulhávamos o pão nesse queijo todo; na verdade, a gente cortava batatas no prato e, com uma concha, derramava essa maravilha toda por sobre as batatas (mas me deram um garfo longo e um pedaço de pão para experimentar o jeito ‘tradicional’).

Raclette

Raclette é um prato típico que consiste de queijo raclette derretido consumido com batatas, picles e cebolinhas em conserva, geralmente. No entanto, é um prato bem fácil de incrementar e adicionar outros ingredientes, como carnes, frios, molhos… fica bem a gosto do cliente. A raclette é feita nesse aparelho aqui da foto abaixo, onde o queijo raclette fica derretendo nessas pázinhas.

raclette

Nós aprendemos com nossos amigos suíços a cozinhar as batatas e depois servir o queijo derretido das pázinhas em cima da batata, e complementar o prato com picles e cebolinhas (compramos batatas especiais pra raclette). E enquanto você come uma batata com queijo, já vai colocando o próximo queijo no aparelho, pra ir derretendo. Essa é a comida oficial de quando recebemos visitas aqui em casa, já que temos um aparelho desses de raclette, e é uma refeição mais demorada e bacana de ir saboreando aos poucos com amigos e um bom vinho.

Rösti

Rösti é uma espécie de torta achatada de batata gratinada típica da suíça alemã. A batata é grosseiramente ralada e comprimida nesse formato de torta, que depois é cozido em uma frigideira com um pouco de manteiga. Existem algumas variações de rösti, mas uma das mais conhecidas é o rösti acompanhado de pedaços de vitela “émincé de veau à la zurichoise

rosti
Fonte: www.baselshows.com

Particularmente eu não curto muito rösti, mas sempre temos uns pacotes no fundo do armário pra uma emergência alimentar. Compramos ele pronto no supermercado e aí é só colocar na frigideira até dourar dos dois lados.

Birchermüesli 

É um cereal matinal misto de cereais, fruta e frutos secos, desenvolvido em 1900 pelo médico suíço Maximiliam Bircher-Benner para os doentes de que tratava (a receita original levava flocos de aveia, suco de limão, maçãs e leite). É fácil encontrar a mistura pronta nos supermercados (aí é só adicionar as frutas frescas se quiser) e também já nos potinhos de iogurte. Já consumi muito, principalmente os que tem chocolate 😉

biechermuesli
Fonte: myswitzerland.com

Salsichas

Bratwurst é a tradicional salsicha alemã, composta de carne de vaca, porco, e as vezes, vitela. Eu sei que existem muitos tipos diferentes de salsicha, e não vou entrar nessa discussão, mas sei que é um alimento bem comum na suíça alemã. Inclusive nós já comemos quando visitamos Berna, bem igual essa da foto abaixo (foto da wikipedia), servida com duas fatias de pão e não como sanduíche. Aqui na região lemânica é comum ver as pessoas fazendo “churrasco de salsicha” na beira do lago e nos parques assim que as temperaturas começam a subir (nessa maravilhosa época do ano que estamos vivendo, mais precisamente!

salsicha
Fonte: Wikipedia

Pães e doces

Já declarei meu amor pelos pães suíços. Nem precisa ser os de padaria, eu gosto dos de supermercado mesmo. Pão trança de manteiga (esse da foto abaixo) é um amor verdadeiro. Mas além dos pães, também é muito fácil encontrar croissants (e croissants de Toblerone, de chocolate…), pain au chocolat, muffins, donuts e mil outros doces maravilhosos. Menção honrosa para os Luxemburgerli, comprados em Zurique na Sprungli, que são o macaron suíço (já provei e são muito gostosos!)

pao

* Tenho uma colega portuguesa que diz que o pão suíço é terrível e o pão português é muito melhor. Gente, se for seguir essa lógica, o que dizer do pão brasileiro? O que dizer dos cacetinhos de pura casca e vento?

* e gaúcho chama pão francês de cacetinho, lide com isso.

Pâte du chalet

Essa é uma receita que nós conhecemos no chalé comendo com os suíços e que é super possível de reproduzir em casa – olha minha foto ali embaixo! É basicamente massa “cornette“, cebola, bacon, batata, creme de leite e muito queijo! Eu costumo fazer em casa, mas também é fácil de achar nas feirinhas por aqui.

Receita fácil pra copiar aí do Brasil nesse friozinho que tá chegando!

pateduchalet

Cenovis

Se tem algo que não falta nunca aqui em casa é o Cenovis – levamos até para o Brasil, pra não ficar sem nunca (mas confesso que não fez sucesso com a família). Cenovis é um ‘creme’ de levedura de cerveja, água, extrato de cenouras e cebolas, sal de cozinha e muita vitamina B1. A melhor forma de consumir é no pão com um pouco de manteiga, mas o fabricante sugere usar também em saladas, carnes e sopas. Nós comemos com pão e manteiga e o segredo é pegar bem pouquinho e espalhar bem, porque o sabor é bem forte e salgado.

O Cenovis é similar ao Vegemite, consumido na Austrália, mas nunca provei vegemite pra saber se o sabor é o mesmo (se alguém já provou os dois conte nos comentários).

 

* Uma anedota: nossa amiga suíça diz que nós somos bem integrados na cultura local justamente porque amamos Cenovis!

Rivella

Nunca dei bola pra Rivella, achava até que era água. Até que um dia eu estava lendo uma lista de “refrigerantes esquisitos do mundo” e me deparei com o Rivella! Ele estava figurando na lista das esquisitices porque é feito com 35% de soro de leite. Por aqui ele é o refrigerante número 1 e é o “segundo leite materno dos suíços”, ehehhe.

Eu provei o azul (light) e é bem gostoso! Eu nem sei explicar o gosto, mas pense em algo parecido com Sprite mas sem o gosto pronunciado de limão fake… definitivamente, não tem nada de leitoso ou de gosto de leite. Experimentei também o de pêssego e achei muito bom! Achei que teria gosto de chá gelado gaseificado, mas foi uma boa surpresa. É fácil de encontrar em qualquer supermercado e custa o mesmo que uma Coca, vale super a pena provar!

rivella
Fonte: www.rivella.ch

******

Vale citar que os suíços são muito preocupados e atentos a qualidade dos alimentos. Tanto que eles preferem sempre consumir produtos de origem suíça, garantindo assim um alto padrão de qualidade (e os produtos suíços são muito bem sinalizados no supermercado).

E pra quem não se interessou pela culinária típica, a Suíça também está cheia de restaurantes italianos, asiáticos, de kebabs, fast food… opções não faltam!

Preços: Mas agora vem a parte triste, o preço disso tudo. Infelizmente, comer fora na Suíça é uma brincadeira bem cara (mas cara mesmo, ok). Então nós procuramos fazer em casa tudo o que é possível, mas também aproveitamos as feirinhas pra experimentar comidas típicas (como as feirinhas de Natal). Mas vou dizer que minha principal referência de comida suíça é de quando passamos o final de semana em Valais, em um clube de montanha, rodeados de verdadeiros suíços. Esses são os momentos em que aproveitamos para experimentar a comida daqui feita por quem é daqui, e não oferecida nos restaurantes caça-turistas. E a experiência é sempre incrível! Não só pelos fondues, raclettes e pâtes du chalet, mas também pelo ótimo vinho branco e pela oportunidade que temos de aprender mais da cultura!

Você também pode gostar de:

2 Comentários

  1. Fiquei feliz de encontrar um comentário sobre o Cenovis.
    Sou Suíço, morro em São Paulo a mais de 40 anos e sempre trago da Suíça o Cenovis.
    De tanto fazer isto, um dia decidi fazê-lo aqui no Brasil e consegui ! Dei o nome de Cenovit e o sucesso foi tanto que a SWISSCAM (Câmara de Comércio Suíço-Brasileira) me convidou para apresentá-lo na Festa Suíça e a degustação foi um sucesso.
    Então agora temos o Cenovis no Brasil com o nome de Cenovit e quem tiver interesse pode entrar em contato comigo, Patrick, pelo email: grupoluwasa@gmail.com ou pelos tels.: (11) 5051-2698 ou pelo cel. TIM (11) 98549-9457 ou pelo Nextel: (11) 7817-3518.
    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *