Suíça: Crans-Montana

As cidades de Crans e Montana ficam a 1500m de altitude, num planalto no alto do Vale do Ródano, próximas da cidade de Sierre (cantão de Valais, parte francófona da Suíça). Essa região é um dos mais procurados destinos de férias do país – unindo ski, golf, luxo e uma paisagem incrível.

Crans-Montana tem cerca de 140 km de pistas de skis demarcadas e divididas em quatro espaços temáticos do Domaine Skiable de Crans-Montana, entre 1500 e 3000m de altitude.  A área de ski fica aberta geralmente de novembro a abril, compreende pistas que vão do iniciante ao avançado e é conhecida como a mais ensolarada área de ski de toda a Suíça.

Mas nem só de ski vive a região. De maio a outubro a região se transforma na meca do golf, atraindo esportistas e turistas de todo o mundo e sediando o Omega European Masters, uma das mais prestigiadas competições de golf de toda a Europa. E, com todos esses eventos, a região conta com uma infraestrutura de peso: são mais de 180 lojas,  mais de 130 opções de restaurantes e bares, e 5 opções de hotéis 5 estrelas.

Graças a localização, Crans-Montana oferece uma vista sem igual: do Mont Blanc (França) ao Matterhorn, incluindo as outras montanhas que formam a Couronne Impériale des Alpes (Weisshorn Zinalrothorn,  Ober Gabelhorn e Dent Blanche, todas com mais de 4000m).

montanhas

 

Nós fomos visitar Crans-Montana no início de maio, em razão de uma conferência no Centre de Congrès Le Regent. A primeira impressão ao chegar é de estar em uma cidade como Gramado, ou Campos do Jordão: tudo organizado de um jeito extremamente turístico – e transpirando luxo.

Apesar da propaganda de “um paraíso de opções o ano todo”, a verdade é que a região bomba durante o auge do inverno e durante o Omega European Masters (setembro). No resto do tempo é uma região quase fantasma, cheias de hotéis, lojas e restaurantes fechados. Obviamente nem tudo para, mas é impressionante ver tamanha infraestrutura ociosa (eles aproveitam a baixa temporada para fazer reparos e obras – impossível fazer um vídeo sem barulho ou uma foto sem guindaste). Pense em lojas como Prada, Luis Vuitton e Ladurée em um vilarejo minúsculo e fechadas a maior parte do tempo (a alta temporada realmente deve compensar o investimento). Pense em lindos chalés de madeira cheios de sacadas, spas e hóteis 5 estrelas, carros de luxo e a serenidade no olhar de quem nunca ouviu falar em cartão Renner.

vista_chales

Serei sincera: num primeiro momento em não entendi o porquê de uma congresso numa cidade fantasma. Mas depois eu compreendi que essa é uma tentativa de trazer gente e aproveitar toda a infraestrutura ao longo de todo o ano. Eu pesquisei muito o que eu podia fazer e descobri que não são só lojas e hotéis que fecham na baixa temporada, mas também alguns museus e atrações turísticas (e o pouco que estava aberto não tinha preços muito convidativos). Mesmo eu, que curto uma calmaria, achei frustrante. Me restou caminhar e apreciar a natureza mesmo.

Eu conheci toda a região caminhando, pois mesmo com a junção das duas cidades, continua sendo pequeno. Apesar da vibe fantasma/mundo em obras, o lugar é incrivelmente bonito e a vista é mesmo espetacular. São 5 lagos no meio dos vilarejos, onde eu revezei meus momentos de piquenique.

lago

A hospedagem é bem cara (mesmo na baixa temporada), mas de resto é possível encontrar mercados com os mesmo preços praticados em todo o país e também restaurantes com valores comparáveis ao resto da Suíça. Nós jantamos num lugar chamado Le Chalet, onde a especialidade é fondue servido dentro de um pão, chamado Chapeau Fondue. Recomendamos, porque a experiência toda valeu a pena! Aqui tem o endereço, infos de contato e menu com todos os preços!

fondue

Bem sinceramente, acho que só vale se prolongar em Crans-Montana se você tiver dinheiro para aproveitar tudo de melhor que a região oferece na alta temporada (tipo o Spa do Guarda Golf com produtos by Ivo Pitanguy*). Caso contrário, eu indicaria um passeio bate-volta, no máximo, só mesmo pra apreciar a vista lá de cima.

cidade

Como chegar

Crans-Montana é acessível por carro, através de um Funicular que parte de Sierre, ou então com o ônibus 422 que sai da Gare de Sierre. O ônibus e o funicular tem o mesmo preço, CHF 25,60 para adultos ida e volta, mas o funicular é mais rápido.

Posts relacionados

Aqui no blog tem post sobre Zermatt e o Matterhorn, e também sobre estações de ski próximas de Lausanne.

*Anedota:

Eu disse: Ivo Pitanguy, o cirurgião das estrelas.

Ele respondeu: achei que era o Dr. Rey.

Eu ri. Essas pessoas que cresceram sem ver Hebe na segunda a noite…

Você também pode gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *