Suíça: Sion

Uma das melhores coisas de morar fora do país é, com certeza, a oportunidade de explorar um país/região com afinco e poder sair dos pontos turísticos clichês. Desde que vi a primeira foto de Sion eu pensei “OMG, eu preciso conhecer esse lugar”. Veja a foto abaixo e compartilhe do meu sentimento:

650x365_sion_hiver
Fonte: myswitzerland.com

Parece cenário de filme, não é? Quase Nárnia.

Em maio desse ano, depois de vários finais de semana chuvosos, nós finalmente conhecemos Sion em um sábado de dia lindo. Nosso passeio começou pelo lago subterrâneo de St. Léonard, e já contei essa parte do passeio aqui.

Sion (ou Sitten, em alemão) é a capital do cantão de Valais e tem uma população de +- 35 mil habitantes. É uma das mais antigas cidades suíças, com cerca de 7 mil anos de história.  Graças a sua localização, é um renomado centro vinícola (Fendant é o vinho branco especialidade da região) e é considerada a mais ensolarada cidade suíça.

centro

Como todas as cidades Suíças, Sion tem um centro histórico encantador e cheio de atrações. Mas o que se destaca mesmo são os castelos de Tourbillon e Valère, aqueles dois da imagem que eu postei ali no início.

Nosso passeio

A partir da estação central da cidade nós caminhamos até o Ponto de Informações Turísticas. Ele fecha aos sábados a tarde mas, mesmo assim, conseguimos ali um mapa com as atrações da cidade e um mini roteiro (indico fazer o mesmo, pois é difícil conseguir infos sobre turismo em Sion na internet). Mesmo seguindo o indicado pelo mapa, o passeio foi rápido e nós logo chegamos aos dois castelos.

Nosso primeiro escolhido foi o Château de Tourbillon. Situado no topo de uma colina, sua construção remonta ao final do século XIII, sob a direção do bispo Boniface de Challant, com objetivo defensivo. O castelo foi seriamente danificado nos conflitos entre os bispos e a casa de Savóia (já falei disso no post sobre o Château de Chillon). Foi incendiado em 1417 e reconstruído, e incendiado novamente em 1788. As pedras foram utilizadas para construções na região até o século XIX, quando o castelo foi declarado um monumento histórico.

tourbillon

tourb

A subida parece bem inocente de início, mas é um pouquinho puxada (nada impossível ou cansativo demais). Em um dia em que Sion quer mostrar sua fama de a “mais ensolarada”, pode ser um pouco penoso, heheh – mas chegando lá em cima tudo vale a pena. A vista da cidade, a vista do outro castelo, a vista dos vinhedos e do Ródano, as montanhas com neve bem próximas…é realmente incrível! E poder passear entre as ruínas e explorar o topo da colina é demais – demais e de graça!

  • Preço: entrada gratuita
  • Horário: março, abril, outubro e novembro das 11h às 17h; maio a setembro das 10h às 18h; de metade de novembro a metade de março fechado para visitação.

E pra quem quer ver mais, nesse link tem um passeio virtual pelas ruínas do castelo.

ola

Depois descemos ao Château de Valère, que também é conhecido como Basílica de Valère, pois é uma igreja fortificada na colina vizinha ao Château de Tourbillon. Em 589, o bispo Heliodorus transferiu a Diocese de Martigny (que tinha o nome de Octodorum) para Sion, transformando-a no centro político e religioso da região. As primeiras partes do Château de Valère foram construídos entre 1100 e 1130, em estilo romanesco, e sua construção seguiu inúmeras fases de expansão e modificações, onde foi incluso o estilo gótico. Desde 1700 a estrutura segue inalterada e a igreja recebeu o título de Basílica em 1984, com a visita de João Paulo II.

valere_2

valere_3

Uma das atrações mais importantes da Basílica é seu órgão, datado de 1435 – é um dos mais antigos do mundo ainda em funcionamento.

A subida até Valère é bem mais tranquila e menos exigente. É possível entrar no coro da Basílica e explorar um pouco mais do complexo.

  • Preço: entrada gratuita
  • Horários: Junho a setembro das 10h às 18h; outubro a maio das 10h às 17h.

Existe ainda um terceiro castelo em Sion, que fica bem próximo dos outros dois (no caminho), o Château de la Majorie. Ele foi comprado no século XVIII para ser a residência dos bispos, como uma opção mais acessível ao Château de Tourbillon (entendemos bem!). Abriga o Museu de Belas Artes de Sion.

Pra finalizar, caminhamos mais um pouco pelo centro da cidade, passamos pelo comércio e retornamos para a estação de trem. Foi um passeio esplêndido e muito mais interessante do que imaginávamos que seria. Sion é uma cidade linda e calma, e o passeio fluiu com muita tranquilidade. Definitivamente, é um dos meus passeios favoritos na Suíça e não vejo a hora de levar amigos e familiares passear por lá.

Como chegar:

A partir da estação central de Sion o passeio pode ser feito tranquilamente a pé (mas a subida no Tourbillon é um pouco puxadinha). Preços de ticket de trem para adulto viajando em 2ª classe, ida e volta:

  • Montreux – Sion: CHF 50, 48min.
  • Lausanne – Sion: CHF 62, 1h05.
  • Genebra – Sion: CHF 94, 1h50.
  • Berna – Sion: CHF 62, 1h30.
  • Zurique – Sion: CHF 196, 2h30.

Para aproveitar a região, recomendamos também o passeio no Château d’Aigle!

Ah, e pra quem quer copiar a primeira foto que mostrei, acho que a colina que fica de frente pra elas é o lugar perfeito 😉

eu

Você também pode gostar de:

2 Comentários

    1. Olá Ivana

      Não sei te responder pois não fomos até lá. Mas acredito que seja possível chegar de carro a algum ponto da cidade mais alto onde você consegue ter essa visão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *