Viajando na Europa: carro ou trem?

Já faz um tempo que eu queria falar sobre isso, mas faltava uma experiência maior na parte “carro” pra opinar com mais propriedade. A intenção aqui não é dar uma resposta definitiva sobre o assunto, é mais comentar um pouco das duas experiências, prós e contras pra iluminar um pouquinho (quem sabe) a escolha de quem vem fazer turismo na Europa.

Pra começar, vamos considerar que você quer cobrir um território relativamente pequeno, e você tem que escolher entre carro ou trem. Vamos excluir as longas distâncias desse papo, porque aí teríamos que incluir também avião (e essa é uma escolha mt mais óbvia quando se fala em destinos longínquos).

Outra coisa que vale a pena ressaltar é que essas considerações mudam de um país para outro, então você sempre tem que pesquisar diretamente sobre o seu destino e decidir o que é melhor pra uma situação específica. Mas vou tentar falar num geral, só pra dar um panorama do assunto.

Trem

Para mim, a definição de trem é “praticidade”. Você pode comprar seu bilhete com antecedência e melhores preços (como no caso das passagens aéreas), ou pode deixar pra comprar na hora em casos mais corriqueiros, tipo trajetos curtos dentro de um mesmo país. Na hora de embarcar é só chegar na estação e entrar no trem, sem necessidade de horas de espera, filas e limite de bagagem. Quando chegou ao destino, você só desce e vai embora, livremente, sem preocupação com estacionamento ou localização – e geralmente as estações centrais já te deixam muito bem localizado ou então com acesso muito fácil (ônibus-metrô) aos pontos turísticos de uma cidade.

Você pode viajar dormindo, lendo, usando suas icoisas, batendo um papo e apreciando a paisagem, sempre sabendo a sua hora de chegada, pois você não é um refém do trânsito. Se quiser comer ou precisar ir no banheiro, pode também!

Mas como nem tudo são flores, vamos aos lados negativos. Nada garante que seu trem não possa atrasar. Aliás, mesmo em países conhecidos pela sua pontualidade, os trens podem atrasar (problemas técnicos acontecem!). Então nunca é bom confiar demais nos horários, principalmente se o seu destino final é o aeroporto e você não pode perder o voo. Um trem atrasado é uma exceção, uma eventualidade mesmo, mas pode acontecer (e, pelo menos aqui na Suíça, você não recebe nenhum tipo de ressarcimento se perder um voo por causa de atraso de trem). E, no caso, se for você o atrasado, o trem não vai te esperar de forma alguma.

Pode ser também que você sente do lado de uma pessoa desagradável, ou que tenha um grupo fazendo a festa no seu vagão enquanto você quer dormir. Pode ser que em horário de pico você viaje de pé, ou que o trem esteja em péssimo estado (mas isso também é beeeem raro acontecer). No mais, você tem que ser flexível e adaptar a sua viagem aos horários de trem disponíveis.

trem_2
Fonte: BBC Travel
Carro

E a definição de carro é “liberdade”. Você faz os seus horários, o seu trajeto, pára onde quiser, muda de roteiro em cima da hora… o carro te dá uma liberdade imensa. Você pode pesquisar diferentes locadoras e preços, reserva com antecedência, retira onde mais te convém e devolve idem. Pode escolher um modelo que atenda diretamente as tuas necessidades e pode levar quanta bagagem quiser, afinal de contas, não tem que ficar carregando mesmo! Sem falar que o carro vai te deixar exatamente onde você quer e vai te levar pra lugares onde o transporte público não existe (ou é ineficiente).

Pra que a experiência seja tranquila, você vai precisar de um bom e atualizado GPS, e também entender um pouco da sinalização local. E também vai precisar procurar por hotéis com garagem (e muitos vão cobrar por isso) ou então se informar sobre a facilidade de estacionar perto do seu hotel.

E aqui entramos na parte negativa. Nem sempre estacionar na rua é fácil e, muitas vezes, os estacionamentos privados são bem caros (tipo CHF 20 por 4 horas em Berna). Sem falar que, muitas vezes, as vagas de rua tem um limite de horário, o que vai limitar o seu passeio ou te obrigar a optar pelo privado mesmo. Outro ponto a ressaltar é que existem áreas em algumas cidades onde você não pode transitar (centros históricos, por exemplo) e você será obrigado a deixar o carro mais longe e transitar a pé/transporte público. Num geral as cidades são seguras e você não terá problemas em deixar seu carro na rua, mas aquela coisa né, vale dar uma pesquisada antes sobre o destino.

Estando de carro você também está suscetível aos imprevistos. Você pode pegar um baita trânsito, fazer algo errado e tomar uma multa, ou então, pelo azar dos azares, danificar algo no carro e ter que recorrer ao seguro e rezar pra que ele cubra o estrago. Na nossa viagem de carro pela Itália, enquanto andávamos em uma auto estrada, uma pequena pedra bateu no nosso vidro, lançada pelo carro da frente. Essa pequena pedra fez um pequeno buraquinho, que foi aumentando, aumentando…. até rachar boa parte do vidro. Saldo da história: CHF 1070 que não foram cobertos pelo seguro da locadora.

carro

Mas então?

Não existe uma conclusão definitiva. Tudo depende da região a ser visitada, das suas intenções enquanto turista, das suas prioridades, do que sai mais em conta. Uma pesquisa sobre o destino e sobre os preços é sempre válida pra decidir o que é melhor em cada caso.

Falando da nossa experiência pessoal, nós preferimos sempre viajar de trem quando estamos só em dois. Nós pesquisamos com antecedência, compramos passagens promocionais, temos um demi tarif pra circular na Suíça e, assim, sai mais em conta viajar de trem. Quando estamos em um grupo de 4 ou 5 pessoas, o carro já vale bem mais a pena. Mas eu não acredito que isso seja uma regra válida pra todos os países: na Bélgica, por exemplo, as passagens de trem são mais baratas – acredito que mesmo em 5 pessoas possa valer mais a pena do que alugar um carro. E, na Suíça, as passagens podem ser tão caras as vezes que mesmo em dupla é melhor alugar um carro. Tem que pesquisar. 

Um ponto que vale a pena prestar atenção, com relação aos roteiros, é o tamanho das cidades a serem visitadas. Num geral, é mais fácil transitar nas grandes cidades de transporte público; e mais prático transitar nas pequenas de carro.

Já falei disso no post de Turismo na Suíça, mas vale também verificar as opções de Passes de trem para uma determinada região ou país, que te permitem usar o transporte de forma ilimitada dentro de um período x de tempo. Se você pretende viajar muito de trem, pode ser mais barato que comprar os passes individuais (e, sabendo disso, fica melhor pra comparar com o preço do aluguel do carro).

Você também pode gostar de:

8 Comentários

  1. Estarei na Europa em outubro, participando de eventos acadêmicos, e descobri uma forma barata de transporte… carona! Desesperada com o preço das passagens de trem (e com o euro que está acima de R$4) cheguei ao site blablacar.com onde você pode oferecer e ou pegar carona.

    Você conhece??
    Já usou?

    1. Olá Bárbara!
      Realmente, com esse valor de euro precisamos mesmo de meios alternativos de transporte!
      Nunca peguei carona na Europa e nem usei esse site, então não posso te dar uma opinião a respeito. Mas já conheci pessoas que viajam de carona por lá e gostam.
      Acho que importante mesmo é se certificar quanto a segurança e ter em mente que o negócio é mais informal mesmo, e você pode ficar dependente de quem te dá carona com relação aos horários e rotas…
      Boa viagem!

  2. Olá. Quero passar 17 dias na Europa: 3 dias na Alemanha, 6 dias na França e 8 dias na Itália. Qual roteiro você recomenda? Dá pra fazer tudo de trem ou carro? Aliás, qual dos dois é melhor para o trajeto? Qual o custo diário de deslocamento, mais ou menos, por pessoa? (obs.: vai meu marido e eu na viagem)

    1. Olá Gabrieli
      Não recomendo nenhum roteiro pronto, pois acredito que você deva criar o seu baseado no seus gostos, naquilo que você quer muito ver e fazer. Defina as cidades que quer visitar, e depois pesquise as distâncias, custos e tempo de deslocamento entre elas (simule trajetos de trem e aluguel de carro).
      Isso vai te dar uma noção do que é mais prático e do que sai mais em conta também.

      Boa viagem
      Monique

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *